segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Sobradinho recebe o Mutirão de Informação, Formação e Cidadania

Educadoras e educadores do Centro de Ensino Fundamental 01 de Sobradinho debateram na tarde nesta quarta-feira dia11, estratégias para alcançar uma educação não-sexista e fazer a difusão de questões sobre os direitos das mulheres e gênero no Distrito Federal.



O encontro foi resultado de mais uma edição do projeto "GDF fazendo gênero nas escolas", que leva formação, informação e cidadania à rede pública de ensino, numa parceria entre as secretarias da Mulher e a de Educação.

A palestra foi aberta pela Secretária da Mulher do GDF, Olgamir Amancia, que falou sobre questões de gênero, direitos da mulher, autonomia e emancipaç ão. Logo após a Secretária Adjunta da SEM-DF, Valesca Leão, apresentou a Lei nº 11.340/2006, Lei Maria da Penha para cerca de 40 profissionais.

Olgamir Amancia advertiu sobre a diferença salarial entre homens e mulheres, esclareceu as razões das relações de preconceito e discriminação favorecem atitudes machistas e fazem com que mulheres ocupem cargos secundários no mercado, com menor acesso a bons salários e carreiras de sucesso. Para ela, mesmo com tanta resistência, o cenário tem mudado em decorrência de muita luta e determinação. As mulheres têm buscado ocupar mais espaços de poder, são poucas, mas elas estão chegando á frente, e hoje são a maioria no Brasil a cursarem a pós-graduação, não somente por almejarem crescer, mas também pela necessidade de provar competência para alcançar a credibilidade. 

Já a Secretária Adjunta Valesca Leão reforça que "A violência contra as mulheres não está limitada à classe econômica", e ainda complementa: "As raízes da violência contra as mulheres decorrem da discriminação persistente contra elas, advindas da cultura patriarcal e machista".
Interagindo com um grupo que falava sobre Lei Maria da Penha, a Secretária Olgamir Amancia fez questão de reiterar o que a própria Maria da Penha falou sobre a Lei "A Lei Maria da Penha não é contra homens, ela é contra homens que agridem mulheres".

Nenhum comentário:

Postar um comentário